CIRETRAN Morrinhos passa a atender com horário agendado

Usuário deve marcar horário no site. Medida visa prevenir aglomerações

Com o objetivo melhorar a qualidade dos serviços prestados ao cidadão e contribuir para a prevenção da Covid-19, o Departamento Estadual de Trânsito passará atender somente com hora marcada nas Ciretran Morrinhos, partir da próxima terça-feira (14/07). O agendamento deve ser realizado no site www.detran.go.gov.br e já está disponível a partir de hoje.

O atendimento presencial, retomado em meados de abril, está limitado aos serviços que não podem ser realizados pelo site ou pelo aplicativo DetranGO On, como transferência de propriedade, troca de placas, segunda via de CRV, renovação de CNH e entrega de documentos. Os usuários que desejam apenas emitir CRLV-e, boleto ou fazer comunicado de venda deverão utilizar os canais eletrônicos.

Para ter acesso às dependências, o usuário terá que comprovar o agendamento naquela hora e data, além de utilizar máscara. O agendamento deverá ser estendido às demais Ciretrans de Goiás até o final do ano.

Como agendar
O agendamento deverá ser feito exclusivamente pelo site www.detran.go.gov.br. Ele é intransferível e é necessário que seja feito com o número do CPF do usuário. Ao acessar o portal, o interessado deve clicar na aba “Atendimento” na parte superior da tela, informar os dados pessoais. Em seguida, escolher o serviço e o local em que deseja ser atendido. O sistema informará das datas e horários disponíveis. Após selecionar, basta confirmar o agendamento e gerar o comprovante.

Confira as senhas de serviços do Detran-GO disponíveis para agendamento:

  • VEÍCULO – ATENDIMENTO (Inclusão de veículo Novo; Transferência de propriedade;. Troca/Perda de placa; Segunda via de CRV; Embargo/Desembargo; Inclusão ou baixa de gravame)
  • CORREIOS – ENTREGA DE CRV/CRLV
  • CNH – RENOVAÇÃO
  • CNH – ENTREGA
  • CNH – PRIM VIA – ADIÇÃO/MUDANÇA DE CATEGORIA – ALTERAÇÃO DE DADOS
  • PROTOCOLO GERAL
  • VISTORIA PARA REGULARIZAÇÃO DO NÚMERO DO MOTOR
  • VISTORIA PARA REGRAVAÇÃO DE CHASSI
  • VISTORIA PARA ALTERAÇÃO DE CARACTERÍSTICA

Fonte: Nathallya Martins Trindade
Supervisora Ciretran Morrinhos

Compra de fazenda em Morrinhos pode deixar Maiara e Maraísa sem cachê de live

 Justiça tentou penhorar o cachê da live de Maiara e Maraísa.

A coluna explica o motivo: o ex-cunhado da cantora, Elias Fernandes, acionou a sertaneja em um processo no qual ele pede que a artista pague um suposto empréstimo que ela teria feito com uma empresa em que seu irmão (ex-namorado da Maraísa) é sócio.

A ação de número 0714309-49.2019.8.07.0001, tramita na 1° Vara de Execuções de Títulos de Brasília – DF e nela Elias alega que a Gaia Agrobusiness emprestou R$ 1 milhão para Maraísa pagar uma dívida da compra de uma fazenda em Morrinhos, Goiás, através de uma nota promissória.

O empresário diz que Maraísa não quitou o suposto empréstimo, cujo o valor atualizado com juros e correções agora gira em torno de R$ 1,4 milhão.

Com isso, Elias tentou penhorar a própria fazenda, que foi adquirida por Maraísa no valor de R$ 13,9 milhões, na tentativa de quitar o débito que ele afirma existir.

No entanto, como Maraísa teve que devolver o imóvel pro antigo proprietário por não ter pago o valor total da compra, o empresário acabou entrando com uma petição para que o juiz do caso penhorasse o cachê da dupla Maiara e Maraísa.

Ele tentou intimar a Work Show, escritório que gerencia a carreira musical das gêmeas, mas acabou notificando a empresa errada, uma vez que a Work Show informou que a empresa responsável pela arrecadação da live das sertanejas é a Show Completo Produções Artísticas Ltda, que até o momento ainda não foi notificada sobre a penhora do cachê.

Procurada, a assessoria jurídica de Maraísa nega o empréstimo e diz que a nota promissória foi assinada em branco pela cantora e utilizada de má-fé por seu ex-namorado.

“A Maraísa nada deve ao senhor Elias, nunca comprou nada, ou fez qualquer negócio ou fez empréstimo com o mesmo, nunca teve relação comercial com a pessoa que ajuizou a ação judicial em seu desfavor. O senhor Elias é irmão do ex-namorado da Maraísa, o senhor Raimundo, o qual de maneira ilícita repassou uma nota promissória para o seu irmão, com o claro intuito de tentar conseguir vantagem financeira em desfavor da mesma”, explica o advogado Mauricio Vieira de Carvalho Filho.

Ainda segundo ele, o ex-namorado da cantora teria se aproveitado da ingenuidade da sertaneja para conseguir notas promissórias assinadas por ela em branco.

“Durante o relacionamento, e devido à pouca idade e pouca instrução da mesma à época, ela foi induzida por seu então namorado, Raimundo, a assinar várias promissórias em branco, sob o argumento de que ambos iriam adquirir uma propriedade rural. Todas as promissórias foram assinadas em branco, sendo que das sete promissórias, apenas seis foram devolvidas depois da intervenção dos advogados da mesma. Contudo, uma das promissórias não foi devolvida e foi preenchida à mão pelo senhor Raimundo, tendo como credor a empresa Gaia Agribusinnes, da qual o senhor Raimundo é sócio”.

A coluna também procurou o ex-cunhado de Maraísa, através de seu advogado. Huelder da Silva Alves nega as afirmações da defesa de Maraísa.

“O argumento da devedora é o absurdo motivo da inexistência da compra da fazenda Araras, sendo que de fato ocorreram pagamentos por parte empresa Gaia, em nome da devedora Maraísa, cumprindo a compra da fazenda, sendo que a empresa Gaia pagou pela dívida da devedora e recebeu a nota promissória cobrada”, informa o advogado, que também apresentou comprovantes de dois depósitos nos valores de R$ 500 mil e R$ 488 mil em nome do proprietário que vendeu a fazenda para Maraísa.

Fonte: matogrossomais.com.br

Prefeitura de Morrinhos ultrapassa R$ 500 mil investidos no combate ao coronavírus

Segundo o Portal da Transparência da Prefeitura de Morrinhos, o município já empenhou mais de R$ 511 mil no enfrentamento ao coronavírus. Deste montante, 58% foram investidos em ações de saúde, como aquisição de testes rápidos, medicamentos, EPIs, Barreiras Sanitárias e outras ações.

A maior parte dos recursos, 42%, foram investidos em ações sociais, com a aquisição de alimentos para a distribuição aos alunos de escolas públicas.

Recentemente, o vereador Maycllyn Carreiro propôs a elaboração de um Plano de Aplicação de Recursos para que haja um planejamento, juntamente com representantes da sociedade organizada, para as ações que serão desenvolvidas, proporcionando mais eficiência e transparência dos gastos públicos.