Comerciantes reclamam, mas a ACIM se cala diante do fechamento do comércio

O último decreto do prefeito de Morrinhos, Rogério Troncoso, determinando o fechamento intermitente do comércio por conta do COVID-19, causou insatisfação e revolta da grande maioria dos comerciantes da cidade.

Numa tentativa de sensibilizar o prefeito para não fechar o comércio, houve uma carreata pela cidade indo até a frente da prefeitura, mas tudo foi em vão, Rogério Troncoso manteve o fechamento, que desagradou a todos.

Na esperança de que a ACIM- Associação Comercial e Industrial de Morrinhos, órgão que representa a classe, tomasse frente do movimento dos comerciantes, em favor do não fechamento do comércio, mantiveram contato com a diretoria da instituição, mas nada conseguiram.

Diante da apatia e falta de interesse da direção da ACIM, uma boa parte dos comerciantes decidiu se mobilizar para novamente conversar com o prefeito Rogério Troncoso, a fim de tentar a anulação do decreto. Essa tentativa dos comerciantes deve acontecer a qualquer momento.

A principal alegação dos comerciantes é que tudo que foi pedido para evitar a propagação do coronavírus, foi atendido e por isso não haveria necessidade do fechamento do comércio, penalizando de forma injusta a classe trabalhadora de Morrinhos. Afirmam os comerciantes que tantos dias parados, vão provocar danos irreversíveis nas finanças de todos, e com certeza muita gente não terá condições de voltar a funcionar. Honrar os compromissos financeiros, com aluguel, água, luz e pagamento de funcionários será muito difícil, acrescentaram os integrantes da classe.