Espalhe por ai:

Governador acompanhou apresentação da quadrilha de tráfico internacional de drogas, desarticulada pela Operação Puro Sangue, que apreendeu 500 quilos da droga e prendeu oito pessoas. Grupo criminoso atuava desde 2010 no Estado, calculou a polícia

Apreensão de 500 quilos de cocaína pura, a maior da história do Estado de Goiás, além de duas aeronaves, oito veículos e oito pessoas presas. Esse foi o saldo da Operação Puro Sangue, da Polícia Civil de Goiás, que desarticulou uma quadrilha de tráfico internacional de drogas. A ação foi veementemente elogiada pelo governador Ronaldo Caiado, que na manhã desta segunda-feira (5/8) esteve pessoalmente na Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Dnarc) para acompanhar a apresentação da Operação à imprensa. “É um orgulho ser governador do Estado com a melhor Polícia Civil do Brasil. Isso me dá a real dimensão da responsabilidade de estarmos cumprindo aquilo que a sociedade deseja”, reconheceu o governador. “Como médico, sei o que 500 quilos de cocaína podem provocar na vida das pessoas. Estamos combatendo um crime que destrói a nossa juventude”, completou.

A Operação Puro Sangue é resultado de uma grande investigação da Denarc, que já dura um ano. A cocaína apreendida é de alto grau de pureza. No mercado internacional, o valor total do que foi apreendido pode chegar a U$ 35 milhões – o equivalente a R$ 140 milhões. Caiado diz que fará questão de levar o resultado da Operação ao conhecimento do presidente da República, Jair Bolsornaro, e do ministro Sérgio Moro. “A Polícia Civil de Goiás é diferente. Portanto, precisa deste apoio e de ser reconhecida nacionalmente. Aqui o narcotráfico será duramente combatido e isso deve ser propagado pelo mundo todo: o quanto nós estamos impedindo que pessoas na Europa, nos Estados Unidos tenham suas vidas destruídas. Este é um lado que temos que reconhecer e temos que, cada vez mais, elogiar a capacidade investigativa da Polícia Civil do Dnarc. Eu cumprimento a cada um desses agentes, desses policiais que tiveram coragem e paciência para consolidar toda esta operação”, reverenciou o governador

Segundo o titular da Denarc, delegado Fernando Augusto Lima Gama, a investigação vem sendo conduzida há cerca de um ano, e a polícia calcula que o grupo criminoso atuava desde 2010. “Várias fases já foram realizadas. Na primeira, houve uma grande apreensão em valores, mais de R$ 500 mil em dinheiro, tanto em reais, dólares e euros. A partir daí, começamos a evoluir na investigação, até chegar neste ponto que culminou nesta apreensão da droga deles”, detalhou. A prisão se deu em um aeroporto na região de Edeia na madrugada do último sábado para domingo. Entre os detidos, estão sete suspeitos, entre eles dois pilotos e uma boliviana, que é também companheira do principal investigado.

O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, atribuiu o êxito às ações da polícia à liberdade que o governador Ronaldo Caiado dá às forças de segurança do Estado para trabalhar. “Já faz muito tempo que a Polícia Civil vem monitorando, mas neste ano, os policiais intensificaram, o que nos permitiu avançar no caso. Agora, a quadrilha está praticamente toda presa e retiramos cerca de 45 milhões de dólares em drogas das ruas. Isso ia fortalecer o poderio dessa quadrilha e prejudicar, infelizmente, ainda mais crianças, jovens, enfim, as pessoas que são vítimas dessas drogas”, afirmou Rodney. Ele também rendeu elogios à Polícia Civil do Estado de Goiás, bem como a Caiado. “O governador estabeleceu o único limite para a atuação das nossas forças policiais: a lei. E nós, dentro desse limite, temos procurado trabalhar o máximo possível e, graças a Deus, os resultados estão vindo.”

Espinha dorsal
Ainda segundo Rodney, a Operação Puro Sangue quebrou a “espinha dorsal” de uma robusta organização criminosa. Ao todo, a Denarc apreendeu 501,6 quilos de cocaína e mais 31,5 quilos de insumos para preparo das drogas. Por ser pura, a quantidade do entorpecente chega a triplicar, pois cada grama rende três para a venda final. “É um produto diferenciado, a droga mais pura que existe para a distribuição internacional. A gente chama de ‘droga de grife’, destinada a países da Europa”, comentou o delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, Odair José Soares. “Uma ação como essa visa tirar o Estado dessa rota internacional do tráfico. Não vamos permitir que o solo goiano sirva de entreposto para a cocaína”, garantiu.

As duas aeronaves foram apreendidas em Rio Verde e são avaliadas em aproximadamente R$ 600 mil. Entre os oito veículos estão uma caminhonete Ford Ranger, uma Hillux, uma Discovery, Fiat Strada e um Fiat Toro; além de duas motocicletas BMW 1200 e uma Yamaha. Dando continuidade às diligências, os policiais civis apreenderam, em uma chácara no município Itaberaí, três armas de fogo: um revólver .357, uma espingarda .20 e uma pistola .380, além de uma grande prensa, armas de fogo e 15 artefatos explosivos. Com a organização criminosa, durante as buscas, foram encontrados também valores: R$ 20,5 mil em Rio Verde e mais R$ 45 mil, em Itaberaí.

Espalhe por ai:
https://www.morrinhosagora.com.br/wp-content/uploads/2019/08/IMG-20190805-WA0085-1024x683.jpghttps://www.morrinhosagora.com.br/wp-content/uploads/2019/08/IMG-20190805-WA0085-150x150.jpgadminGoiásGovernador acompanhou apresentação da quadrilha de tráfico internacional de drogas, desarticulada pela Operação Puro Sangue, que apreendeu 500 quilos da droga e prendeu oito pessoas. Grupo criminoso atuava desde 2010 no Estado, calculou a polícia Apreensão de 500 quilos de cocaína pura, a maior da história do Estado de Goiás,...As principais noticias de Morrinhos e Região